Só o tempo e a consciência nos ensinam a diferenciar a paixão do amor

A paixão é uma condição humana, e sem ela nossa vida seria insípida. Alguém que nunca se apaixona está perdendo uma das experiências mais incríveis que se pode ter. Mas, com o tempo, vamos compreendendo que sua natureza é sempre ilusória. A paixão é a tradução de necessidades afetivas que se alojam no inconsciente, e que nos impulsionam, sem muita escolha, a desejar o objeto que pretensamente irá nos satisfazer. E, como algodão doce, de uma grande abocanhada, vira nada. De paixão em paixão, e muito autoconhecimento, saímos da repetição, ganhamos experiência e maturidade. Mais conscientes de nós mesmos, compreendemos que a paixão é sempre efêmera e que sua energia, se assim o permitirmos, pode se transformar em amor. O amor é mais profundo. Ele é conectado e construído dentro e fora de nós mesmos. Exige dedicação, sabedoria, reflexão e crescimento pessoal. O amor nos torna seres mais evoluídos.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(Agende um aconselhamento presencial ou à distância)

Tags: , , , ,