Os bloqueios sexuais femininos

Entrevista de Sergio Savian para o Portal MSN

E quando a mulher se sente velha e sexualmente cansada?
Todos nós, homens e mulheres, depois de certa idade, temos nossas taxas de testosterona diminuídas. Como a testosterona é o hormônio responsável pelo desejo sexual, significa que quanto mais velhos nos tornamos menos desejo temos. Falando de outra maneira, uma pessoa jovem costuma ter mais vitalidade e disposição que uma pessoa mais velha. Podemos ter relacionamento sexual a vida toda, porém, devemos respeitar as condições do corpo. Por isso, o sexo depois da meia idade deve ser feito com mais delicadeza.

E quando ela tem que tem vergonha do próprio corpo?
Isto acontece sempre. Mulheres que não estão satisfeitas com seu corpo, acabam evitando o sexo e muitas vezes inventam histórias, justificando-se de outras maneiras. Ao invés de reconhecerem a vergonha, podem, por exemplo, dizer que não confiam nos homens, colocando a culpa toda neles.

E quando ela não gosta  de se despir na frente do parceiro?
Mais do que imaginamos carregamos muita repressão sexual. O sexo ainda é associado a algo feio, sujo. Isto em grande parte por influência das religiões. Com uma educação repressora,  passamos a não aceitar o corpo como natural. Com muito moralismo, não é possível ter um bom sexo. Além disso, também somos bombardeados por modelos que nem todo mundo consegue alcançar. Se você não for magra, sarada e com tudo em cima, fica devendo. Vivemos uma sociedade materialista que não nos leva, de maneira alguma, à uma vida amorosa satisfatória. Para se ter um bom sexo, este deve partir de outros valores, menos materiais, com menos moralismo e o reconhecimento do que é natural.

E quando ela carrega tanto problema emocional que não tem segurança no sexo?
A potência sexual está intimamente ligada à saúde mental. Uma pessoa muito neurótica não tem fluidez no sexo. A neurose rouba a energia que deveria ser usada no bom sexo. Por isso, se você pretende ter uma vida amorosa e sexual plena, deve tratar-se por meio de uma análise, para sair do padrão neurótico de comportamento e se entregar aos prazeres da vida.

Sergio Savian é psicoterapeuta corporal. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosvaian.com.br