O que está por trás de uma mente preconceituosa?

Quando você julga e avalia os outros de acordo com o que entende como certo e errado, pode ser que esteja escondendo a própria vulnerabilidade. O preconceituoso é narcisista. Ele pensa que o mundo deveria ser parecido com ele. Não admite a diversidade. Não admite as diferenças. Não reconhece que cada um é único, que cada um deve saber o que é bom ou não para si. Você acha que sabe mais, que é bem resolvido, e pensa que outros são errados, fracos, ignorantes, pisam na bola, irresponsáveis. Você é o perfeito, o que deve ter a última palavra, o que tem razão. Mas será que isso é verdade? Será que este jeito de pensar funciona? Ou você estaria vivendo relações conflituosas, que não saem do lugar? Uma análise mais minuciosa mostra que todos nós temos um lado mal resolvido, escuro. Por que então perder seu precioso tempo com os defeitos alheios se você mesmo os tem e precisa de muita energia para resolvê-los? Ao invés de tomar conta da vida dos outros, como seria se cada um aprendesse a tomar conta da própria vida? Ser maduro não é cumprir normas impostas de fora para dentro. Ser maduro não é sinônimo de ser obediente. Para que a real maturidade ocorra é preciso se rebelar, colocar uma peneira nas ordens impostas, e reconhecer o que é bom ou não para si, de fato. Para amadurecer é preciso errar muito, e pouco a pouco, reconhecer os erros, e acertar. Mas não esqueça que certo e errado não são absolutos e devem ser avaliados no contexto de cada um.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamento
(agende uma consulta presencial ou à distância)

Tags: ,