Não me permito amar porque não consigo superar o antigo relacionamento

Sergio Savian fala para a Revista Nova

Como relacionamentos antigos e términos mal resolvidos dificultam novas paixões?
Quando o homem por quem esteve apaixonada se afasta de uma forma brusca ou traumática, você vive uma dor emocional intensa. Perde o apoio que ele representava e às vezes desmorona. É preciso então viver o luto, ficar triste, entrar em contato com o vazio deixado pelo amado. Abrir mão do sonho. E cada pessoa tem seu tempo para fazer este processo. Uma coisa é certa: somente quando aceita a perda, ao relaxar, é que você estará preparada para uma nova paixão.

Você acredita que há muitas mulheres que se desiludem e desacreditam no amor por causa de relacionamentos anteriores a que ficaram presas?
Pode ser que você não tenha capacidade de olhar para seu mundo interior, que não entenda sua participação no término da relação. Acusa o outro por todas as desavenças. Neste caso, é bem possível que fique magoada e ressentida, fechando-se para novas experiências por muito tempo, senão para sempre.

É possível seguir em frente sem pendências depois de uma grande desilusão amorosa (se ela foi traída, por exemplo)?
Quanto você se conhece, percebe que os amores vividos são puro reflexo de uma condição psicológica interna. Quando se conhece, entende que ninguém é santo, nem mesmo você. Ninguém é absolutamente bom, nem ruim. Sabendo disso, aumenta sua capacidade de enxergar e entender o outro, mesmo que ele seja imperfeito. Presta atenção no que realmente importa e não fica presa a julgamentos morais rígidos. Pessoas inseguras emocionalmente tendem a ser mais exigentes nas relações. Pessoas mais seguras não se abalam por pouco.

Que dicas você daria para superar a fossa e voltar ainda mais forte? Como saber qual o momento de por um ponto final no sofrimento, de “sacodir a poeira e dar a volta por cima”?
Você vai sofrer enquanto repetir padrões psicológicos neuróticos. Conheço pessoas que se separaram porque se sentiam vítimas, e nos relacionamentos posteriores, continuaram com o mesmo tipo de sentimento. Algumas manipulam, outras são perversas, umas são muito rígidas, outras permissíveis, sádicas ou masoquistas. Minha dica é que pare de olhar tanto para o outro e se questione.  Você precisa saber quem é, como funciona, e assumir sua parcela de responsabilidade. Só assim terá condições de escolher melhores relacionamentos.

Sergio Savian é psicoterapeuta de relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho em www.sergiosavian.com.br