Medo de amar

Entrevista para o Portal UOL

O medo de amar pode se manifestar de qual maneira numa pessoa?
Algumas pessoas se isolam, não saem de casa, não frequentam lugares onde poderiam conhecer alguém, ou simplesmente, não olham para quem está à sua frente. Outras, comportam-se de forma arisca, desconfiadas, afastando assim até os mais bem intencionados. Você pode ser chata, autoritária, professoral, perfeccionista, quer dizer, são muitos os mecanismos para bloquear o amor quando se tem medo.

Geralmente pessoas que o sentem, têm quais motivos?
Algumas têm medo de se machucar, outras são muito inseguras e não acreditam que alguém possa se interessar verdadeiramente por elas. No geral, os motivos atuais são somente representações de uma estrutura psicológica que foi construída no passado, nas relações familiares. O que acontece hoje é sempre uma versão atualizada do que aconteceu na infância.

Ter um pouco de medo de amar faz parte ou nunca é bom? Existe um equilíbrio?
O que as pessoas chamam de amor é dependência, cobrança e uma série de regras a cumprir, que engessam o amor propriamente dito. Tudo isto nos fere.  Os poucos que conseguem amar de fato são os que se libertaram de suas neuroses, deixando de projetá-las nos outros. Sair do da inconsciência e assumir sua autenticidade dá medo. Você tem medo de não pertencer à maioria, você tem medo de não ser aceito por não cumprir as normas. Mas, se você pretende amar, não existe outra alternativa: precisa começar por você mesmo. Aceitando os seus desejos do jeito que eles são, direcionando-se para sua individuação. Esta é a base para o verdadeiro amor.

Pessoas que não têm medo algum de amar podem se machucar mais?
Para amar você precisa abrir mão de alguns padrões aos quais está acostumado. O amor anda de mãos dadas com o desconhecido e isto dá medo. Quem se entrega ao amor, sabe que um dia pode se ferir, mas também sabe que não vai morrer por isto e que vale a pena.

Como deve ser tratado esse medo? Quais conselhos podemos dar para essa leitora?
Amar é uma aventura. O medo a paralisa e bloqueia a possibilidade de amar. Pessoas de ego muito frágil não admitem a dor e se desviam de qualquer possibilidade de senti-la. Pessoas com maturidade emocional lidam melhor com as restrições e até mesmo com as perdas. Por isso, o único caminho para quem deseja amar é dedicar-se ao um trabalho de autoconhecimento que irá fortalecê-la. Esta é a base de tudo.

Sergio Savian é psicoterapeuta especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br