Dignidade gay

Apesar do avanço nas leis e também na aceitação dos gays pela sociedade brasileira, muito ainda deve ser feito para que esta questão seja tratada de uma forma justa e digna. Mas isto só se tornará uma realidade quando houver uma consciência maior de cada indivíduo.
É impressionante o grau de paranóia que muitos gays e lésbicas ainda vivem, escondendo o seu jeito de ser a todo custo, como se estivessem num governo nazista, prestes a serem fuzilados se descobertos. E isto se deve a um ponto de vista social distorcido que até hoje satiriza os homossexuais, que os condena aberta ou veladamente a cada momento do dia a dia. O medo de perder o emprego, de ser expulso da família, de não ser aceito pelos amigos, parentes e pessoas queridas, faz com que o homossexual viva num estado de alerta constante, exercendo uma espécie de dupla personalidade.
Felizmente já existe um bom número de gays que compreenderam algo muito importante: que sua sexualidade não foi algo que escolheram, mas uma orientação de sua própria natureza. E por isso mesmo, passaram a tratar a si mesmos com mais carinho e aceitação. E este é o primeiro e o principal passo para você desenvolver sua auto-estima e dignidade.
A ignorância daqueles que encaram a homossexualidade como um desvio de caráter acaba contaminando a mente e os sentimentos dos próprios gays que passam a ter medo de compartilhar seu afeto de uma forma saudável, de se comunicar com clareza e muitas vezes até ironizando seus próprios colegas.
A sociedade forma um organismo do qual todos fazem parte. A família é fundamental na construção da personalidade de um indivíduo. Os pais foram os primeiros modelos que você teve para se relacionar. Sendo assim, por que você deveria se esconder, com vergonha do que é? Não seria mais verdadeiro e inteligente que todos, família e sociedade, soubessem que são co-responsáveis por essa nuança da sexualidade humana? Apesar de muita gente ainda apostar contra, com certeza e felizmente, tudo isso está mudando. A vergonha perde o sentido quando você percebe que ela é apenas a reação do preconceito, de um ponto de vista limitado e ignorante. Quando você aprende respeitar a si mesmo, exige o mesmo dos outros, não permitindo que a crítica o atinja. E a partir de sua dignidade ficará muito mais fácil integrar-se na sociedade, na família, estar com os amigos e no ambiente de trabalho. Agora, de cabeça erguida, sem dever nada a ninguém.

Para agendar  um  aconselhamento com Sergio Savian ligue para 011 2368-9305 ou escreva para atendimento@sergiosavian.com.br
Saiba mais sobre este trabalho no site www.sergiosavian.com.br

Tags: