Auto-imagem feminina: muitas mulheres se vêem mais feias do que os outros a vêem

Entrevista de Sergio Savian  para o Jornal a Tribuna de Santos

Bem  que gostaríamos, mas a verdade nua e crua é que carregamos dentro de nós complexos, muitos dos quais estimulados por uma cultura cruel, que valoriza muito mais a aparência do que o interior das pessoas.

Para ser bonita e aceita você deve ser magra, não ter celulite, ter belos seios, coxas e nádegas bem formadas, cabelos e pele perfeitos. Tudo isso só é possível de duas formas: ou pelo fotoshop ou por uma incansável peregrinação pelos salões de estética, academia, cirurgiões plásticos, além de dietas mirabolantes e muito sacrifício. Tudo isso porque você precisa do
reconhecimento e da aprovação dos outros.

Você entra nesse jogo, compra a ideia e fica correndo atrás da perfeição, mesmo que ela não exista de fato. Você acha que assim vai se dar bem, mas é assim que você fica cada vez mais neurótica.

O pior é que, por mais que você faça, por mais que se dedique e se escravize neste caminho,  é bem capaz que em seu interior, continue mal resolvida.

As mulheres mais lindas que conheci são simplesmente bonitas e não fazem tanto esforço para isso. São espontâneas, tem uma vida natural, uma boa vida afetivo-sexual, estão fluindo.

E quando você flui, quando está de bem com a vida, quando não fica paranóica com sua imagem, quando aceita suas qualidades e defeitos, fica bela, naturalmente bela. Seu sorriso, sua expressão, sua presença emitem uma aura especial.

Sergio Savian é psicoterapeuta corporal. Saiba mais sobre seu trabalho no site www.sergiosavian.com.br