Até que ponto uma pessoa consegue aguentar tanta pressão num relacionamento?

Entrevista para o Programa THE LOVE SCHOOL
Record TV

Sergio Savian é psicanalista clínico especializado em relacionamentos. Atende em seu consultório em São Paulo e on line.

1) Até que ponto uma pessoa consegue aguentar tanta pressão num relacionamento?
Depende de cada um. Pessoas muito carentes tendem a aguentar mais pois temem ficar sozinhas caso coloquem limites ao seu agressor. Pessoas com auto-estima mais elevada não se submetem a situações de violência psicológica ou até mesmo física. O relacionamento amoroso é muito importante para a vida de todos nós, mas tudo tem um limite. Não se pode nem deve continuar uma relação com alto grau de toxidade.

2) Existe um Limite? Qual?
Quando se altera a voz, falando mais alto, já é um sinal de que é preciso entender melhor o que está acontecendo. Xingar o outro, violência física. Acusações infundadas, tudo isso denota que a relação está enferma. Se não houver uma mudança, se algo não for feito, é bem capaz que tudo piore.

3) Quais as reações mais comuns entre pessoas que chegaram ao limite?
Alguns partem para a agressão, outros se calam, pode ser que um dos dois abandone a casa, indo para um outro lugar. Na melhor das hipóteses o casal vai procurar uma orientação, uma terapia de casal, que vai ensiná-los a elaborar o que está acontecendo, na tentativa de encontrar saídas para os impasses. Uma coisa é certa, é preciso repensar a relação, é preciso aumentar o nível de consciência, fazer uma boa reflexão. Sem isto, a tendência é repetir  indefinidamente as atitudes doentias que levam ao conflito.

4) Quais os sinais que mostram que a pessoa pode explodir a qualquer momento?
Falta de diálogo, mudança de humor, isolamento, muitas horas na Internet, consumo exagerado de bebidas alcoólicas ou outras drogas, excesso de trabalho, enfim, tudo o que se pode fazer para fugir do contato com o outro são sinais de alerta de que a relação pode estar mal das pernas.

5) Que atitudes a pessoa deve tomar antes de explodir?
Ao perceber que houve alterações de comportamento, que a relação está perdendo a vitalidade, que o humor foi alterado, o primeiro passo é conversar. Uma conversa madura onde cada um dos dois fala sinceramente o que está sentindo e pensando. Esta conversa não deve ser confundida com acusações mútuas, que não leva a uma boa resolução. É preciso abrir o coração, apostando na continuidade da relação, buscando mais clareza e saúde para a relação. Se o casal não tem a capacidade de ter este tipo de conversa, é aconselhável que procure um orientador de casal para isso.

6) O que diria para alguém que está à beira de um ataque de nervos?
Dedique-se a se conhecer melhor. Sem autoconhecimento, sem você saber o que quer o não para sua vida, as relações tendem à confusão. Abra-se para a sabedoria divina. Aproxime-se de pessoas que podem te ajudar. Você precisa de ajuda. Sozinho(a), é difícil superar situações com estas.

Tags: , ,