Confie desconfiando

Se voc√™ for totalmente desconfiado, nada acontece. Voc√™ tem medo de perder, de ser passado para tr√°s, medo de ser enganado, de ser tra√≠do. Isso levado ao extremo paralisa sua vida. Voc√™ entra em p√Ęnico. Para seu crescimento e expans√£o, voc√™ precisa se meter com a vida, ter muitas experi√™ncias que v√£o mostrando o que vale a pena ou n√£o. Isto √©, voc√™ s√≥ aprende arriscando. Mas como se abrir √†s rela√ß√Ķes se elas machucam, como acreditar no outro se ele mente, omite e joga? Este √© um grande dilema da vida pessoal, profissional e at√© da pol√≠tica. Por isso, √© preciso deixar a ingenuidade de lado. Abrir os olhos para observar bem. Ficar esperto. Desperto. Voc√™ se envolve, bota f√©, mas ao mesmo tempo verifica se o que √© dito e feito bate com a verdade dos fatos. Assim, troca a frase “confiar at√© que se prove o contr√°rio” pela frase “desconfiar at√© que se prove o contr√°rio”. Infelizmente √© assim. E quando constatar que o outro n√£o o merece, arrume um jeito de se afastar, de tomar outro rumo, com certeza na companhia de quem ainda merece sua confian√ßa.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou √† dist√Ęncia)

Em nome do amor se cometem muitas atrocidades

Com um olhar mais atento voc√™ percebe que as rela√ß√Ķes chamadas amorosas s√£o repletas de disputas, jogos de poder, controle e perversidade. Nas rela√ß√Ķes neur√≥ticas o ego est√° em primeiro lugar. E o ego quer controlar, √© competitivo, quer dominar. Assim, n√£o h√° boa vontade que aguente! Voc√™ quer provar que o outro √© pior que voc√™. Por isso n√£o reconhece os pr√≥prios defeitos e acusa seu companheiro ou sua companheira, de ser o √ļnico¬†respons√°vel pelo fracasso da rela√ß√£o. Mas isso n√£o vai longe, serve apenas para inviabilizar o amor. Para amar voc√™ precisa de confian√ßa e doa√ß√£o, que muitas vezes s√£o substitu√≠das por interesses escusos. Voc√™ quer provar que √© melhor, que √© bom e o outro, ruim. N√£o reconhece a import√Ęncia dele em sua vida, achando que tudo o que ele faz n√£o passa de obriga√ß√£o. N√£o sabe agradecer. Todo time, para que seja bem-sucedido, √© composto por indiv√≠duos, cada um com sua fun√ß√£o. E o time funciona bem quando h√° o reconhecimento de que todos s√£o necess√°rios. As rela√ß√Ķes amorosas tamb√©m s√£o assim. Voc√™ √© bom em alguma coisa e o outro √© bom em outra. Cada um dos dois faz sua parte, com gosto. Voc√™ gosta de servir. Se prontifica a ensinar o que sabe, e quando √© solicitado, n√£o esconde o leite. Quando √© ajudado, aceita de bom grado e agradece. Reconhece e agradece. Substitui a briga pela coopera√ß√£o e a harmonia. Este √© o grande segredo de uma dupla amorosa com grandes chances de se dar bem.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou √† dist√Ęncia)

A vida pede mais consciência e profundidade

Voc√™ pode at√© se iludir, achando que √© pura luz, mas isso n√£o √© real. O discurso politicamente correto √© plano, sem profundidade. Todo mundo tem uma sombra, tem algum aspecto negativo em sua personalidade. Como n√£o nos conhecemos o suficiente, empurramos os defeitos e os instintos indom√°veis para uma regi√£o escura de n√≥s mesmos. E o que n√£o v√™ em si, voc√™ projeta nos outros. √Č mais conveniente assim. Ent√£o o n√£o manifesto ganha for√ßa e fica apto para atuar sem a sua consci√™ncia e permiss√£o, o que pode ser desastroso. No fundo voc√™ sabe que n√£o √© aquela pessoa editada que costuma mostrar aos outros, voc√™ sabe de que perna manca, apenas n√£o confessa. “Se ningu√©m descobrir, estar√° tudo bem”, n√£o √© uma verdade. Sua consci√™ncia mais profunda diz que n√£o est√° tudo bem. Em um bom trabalho de psican√°lise interpretamos os sonhos que revelam o mau que tentamos esconder. Aprendemos que os conflitos guardados a sete chaves s√£o um rico material para o autoconhecimento. Do excremento extra√≠mos o adubo. Negar o que est√° na sombra √© uma maneira de n√£o crescer. N√£o reconhec√™-la √© manter-se na superf√≠cie do ser. Reconhec√™-la √© a √ļnica maneira para transcender.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou por Skype)

Por que as pessoas se tornam tão grosseiras em um relacionamento íntimo?

Enquanto as rela√ß√Ķes s√£o superficiais fica mais f√°cil manter um bom n√≠vel de comunica√ß√£o, mas na medida em que vai se criando intimidade, √© bastante comum perder a linha e partir para a estupidez. As pessoas simplesmente baixam a guarda e deixam que a besta guardada dentro de si, se manifeste. Depois de algum tempo voc√™ perde o respeito, come√ßa a colocar o outro para baixo, diz qualquer coisa, ofende, agride e conforme for, parte para a viol√™ncia f√≠sica. Assim, voc√™ transforma seu amor em um saco de pancadas. Alguns s√£o mais sutis e usam a t√°tica do sil√™ncio, colocando o outro na geladeira, outros fazem greve de sexo, muitos batem a porta, sem contar os que gritam. Tudo para vencer mais uma batalha da guerra que chamam de relacionamento amoroso. Por que isso acontece? Voc√™ quer controlar, quer dominar e age assim. Cada um nasce com um temperamento, mais ou menos agressivo, mas muito do que somos √© aprendido com os modelos que temos na inf√Ęncia. Os irm√£os brigam, numa eterna disputa. Os pais se tratam de qualquer jeito. O desrespeito impera. Uma pessoa que n√£o teve uma boa educa√ß√£o emocional, com certeza se tornar√° um adulto insuport√°vel. Por isso, todos n√≥s precisamos passar por uma reeduca√ß√£o dos sentimentos. Precisamos entender e lidar melhor com nossa agressividade. S√≥ assim nos tornaremos menos b√©licos e mais amorosos.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou √† dist√Ęncia)

Você tem a pretensão de mudar alguém?

Cada um tem seu pr√≥prio ritmo para crescer e amadurecer. Por mais que voc√™ tente mostrar os caminhos que deve seguir, de nada adianta, se o outro n√£o estiver no momento certo para isso. Qualquer frase que comece com “Voc√™ devia…” n√£o funciona. O √ļnico dever de cada um √© cuidar da sua pr√≥pria vida sem atrapalhar os outros. Dando conselhos, sem que sejam solicitados, voc√™ cria sentimento de culpa no outro. E, se quiser provocar alguma mudan√ßa, comece por si, mudando sua pr√≥pria atitude, e n√£o dando conselhos. Pergunte-se: o que leva algu√©m sair por a√≠ repetindo “Voc√™ devia, voc√™ devia, voc√™ devia…” Seria um complexo de superioridade? Seria uma forma de sentir-se por cima, colocando os outros para baixo? Antes de dar li√ß√£o de moral, verifique se as pessoas est√£o realmente interessadas, caso contr√°rio, √© bem capaz que voc√™ provoque o afastamento daqueles que o consideram simplesmente muito chato.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos.

√Č voc√™ que d√° tiro no pr√≥prio p√©

√Č muita ingenuidade, para n√£o dizer falta de autoconhecimento, achar que voc√™ n√£o tem uma sombra. Todos n√≥s, simplesmente pelo fato de sermos humanos, possu√≠mos um lado escuro, que n√£o queremos ver. √Č voc√™ que d√° tiro no pr√≥prio p√©, quer seja pelo que diz ou pelo que n√£o diz, pelo que faz ou n√£o faz. Os mais imaturos, por n√£o se conhecerem, culpam os outros, responsabilizando-os por sua felicidade ou por sua infelicidade. Os mais maduros, olham para si. N√£o s√£o os outros que nos atrapalham, que nos derrubam. Somos n√≥s mesmos. ¬†Em outras palavras, n√£o existem tantas v√≠timas e tantos carrascos como pressupomos. Por isso, preste aten√ß√£o, coloque a m√£o na sua consci√™ncia, e admita que est√° projetando seus pr√≥prios conflitos naqueles que est√£o ao seu lado. Se √© que sobrou algu√©m.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta/participe do Grupo de Meditação e Autoconhecimento/falecomsavian@gmail.com)

O prazer sexual est√° mais para uma boa brincadeira do que para uma chata tarefa de casa

O sexo, quando feito somente para a procria√ß√£o, n√£o precisa ser muito criativo, tampouco oferecer prazer. Pode ser um sexo b√°sico, sem preliminares, sem muita hist√≥ria. Mas, em pleno s√©culo 21, queremos muito mais. Al√©m de uma boa pegada, o sexo precisa de muita fantasia, que vai desde o romantismo at√© o sadomasoquismo. E se voc√™ for uma pessoa muito certinha, muito presa ao que √© certo e¬†errado, ao que √© politicamente correto, muito “clean” e moralista, sinto muito, n√£o far√° um bom sexo. O t√£o almejado prazer sexual n√£o se alcan√ßa com seriedade, mas prov√©m do gingado, da sacanagem, da manipula√ß√£o. H√° quem se desenvolva no tantra, que √© uma possibilidade de meditar e alcan√ßar o √™xtase junto com algu√©m no ato sexual, mas isso √© para poucos. No geral, o prazer sexual est√° mais para uma boa brincadeira do que para uma chata tarefa de casa.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos.

8d781538-da16-44cf-b39a-e50c1615c2e6

Sergio Savian
– psicanalista especializado em relacionamentos
(aconselhamento/terapia/grupo de meditação e autoconhecimento Рinforme-se)

De “felizes para sempre” para “a fila anda”

Lembra daqueles casais que se apaixonavam na adolesc√™ncia, namoravam e viviam juntos at√© a velhice? Quantos assim voc√™ ainda v√™? Era preciso acreditar muito e, principalmente, ter paci√™ncia e sabedoria para levar adiante uma rela√ß√£o t√£o duradoura. Tamb√©m √© poss√≠vel que n√£o se separassem por pura incapacidade de viver por conta pr√≥pria, experimentando-se de outras maneiras. A moral mudou, o pensamento mudou e, no geral, as pessoas est√£o menos rom√Ęnticas e mais pragm√°ticas. E se a rela√ß√£o come√ßa a derrapar, apresentando conflitos, n√£o se pensa muitas vezes em terminar. Sem tantos ideais, nem muita press√£o para continuarem juntos, substitui-se o “felizes para sempre” pela frase “a fila anda”. Mais liberdade e menos compromisso; mais autenticidade e, de certa forma, menos profundidade. Haveria um meio termo? Amor e liberdade podem ou devem coexistir?
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos.
(agende uma consulta de aconselhamento)

A vida pede mudanças

Para que flua como um rio, a vida pede mudanças. Muitas vezes a necessidade de mudar vem de fora, quer seja no plano profissional ou pessoal, noutras vezes a necessidade é interior. Uma coisa é certa: quando você se acomoda por preguiça, medo ou indecisão perde a possibilidade de viver com tudo a que tem direito, mas, quando tem coragem para mudar, é recompensado por seus méritos.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos.
(agende uma consulta de aconselhamento/participe do Grupo de Medita√ß√£o e Autoconhecimento. Pe√ßa informa√ß√Ķes.)